23 de maio de 2017

Na Série D, time chega atrasado e de ônibus escolar, não canta nem o hino e vira aos 49 do 2º tempo

Atletico-PE Campinense Serie D 21/05/2017

A Série D do Campeonato Brasileiro costuma ser um poço sem fim de grandes histórias do futebol. E, na tarde do último domingo, isso se provou verdadeiro mais uma vez.

Fazendo sua estreia na competição, o desconhecido Clube Atlético Pernambucano, fundado em 2006 na cidade de Carpina, viveu uma histórias daquelas que, contando, ninguém acredita.

Para começar, o ônibus do time quebrou a caminho do estádio Paulo Petribu, onde o "Tatu-Bola" enfrentaria o tradicional Campinense, e a diretoria teve que agir rápido: arrumou um ônibus escolar, que levou os atletas até o campo para evitar o W.O.

"Nosso CT fica a mais ou menos 20 minutos do estádio, que é em uma área rural. É próximo, o ônibus sai da garagem para pegar a equipe no CT. O ônibus até saiu no horário, mas acabou quebrando", contou Lucas Lisboa, presidente do Atlético, ao ESPN.com.br.

"Aí o capitão da equipe me ligou e falou que o ônibus não tinha chegado. Quando conseguimos falar com o motorista, ele avisou que o veículo tinha quebrado. Era um problema muito difícil de resolver a tempo hábil", completou o dirigente.

O jeito foi apelar à prefeitura para ajudar o clube na hora da dificuldade.

"Como era domingo, estava muito complicado. Falei com o secretário de transportes e ele conseguiu um ônibus escolar, que foi ao CT buscar os atletas. Os jogadores foram alongando no caminho no próprio ônibus, porque já estavam cerca de 20 minutos atrasados", relatou Lisboa.

Ao chegarem ao estádio Paulo Petribu, os atletas atleticanos não puderem nem cantar o hino nacional, que já havia sido executado apenas com o Campinense no gramado.

Em seguida, a bola rolou com 16 minutos de atraso, segundo a súmula.

Matéria Completa AQUI

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...