5 de dezembro de 2016

Elize Matsunaga é condenada a quase 20 anos de prisão, em SP


O julgamento de Elize Matsunaga, que confessou ter esquartejado o marido, terminou na madrugada desta segunda-feira (5). Foi o julgamento mais longo de São Paulo. Depois de sete dias, o júri condenou Elize a quase 20 anos de prisão.

O crime foi considerado hediondo porque, segundo os jurados, Elize utilizou meios que impossibilitaram a defesa da vítima. Ela foi condenada por dois crimes: homicídio, destruição e ocultação de cadáver.

A Promotoria tinha pedido três qualificações, só que duas foram derrubadas pelo júri, que foi a de motivo torpe por dinheiro e meio cruel, suspeita de cortado o corpo do marido ainda vivo.

Ficou para o domingo o momento mais esperado do júri. Elize saiu do lado dos advogados e se sentou na cadeira em frente ao juiz para ser interrogada.

Ela se recusou a falar com a acusação. Por quatro horas e meia ela respondeu às perguntas do juiz, da defesa e também às 51 dúvidas dos jurados.

Falou sobre o início do relacionamento.
“Ele era muito gentil comigo no começo. Me tratava bem, era um cavalheiro. Não era o homem que conviveu comigo nos seis meses antes do fato”, disse Elize.

A traição:
“Comecei a questionar se ele tinha outra mulher. Ele falava que não, que era trabalho, mesmo. Ele falava que eu estava louca”, afirmou Elize.

A briga na hora do jantar:
“Eu disse que era para ele parar de mentir, que ele não ia para a casa do pai dele, que eu sabia de tudo, que eu tinha contratado um detetive. Ele levantou e gritou: ‘como você teve a audácia de contratar um detetive com o meu dinheiro?’. Aí eu levantei, retruquei e aí ele me deu um tapa, me xingou de vaca. Fui para a sala e peguei a arma”, relatou Elize.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...