4 de fevereiro de 2016

Ex-jogador do Flamengo se dá bem como vendedor de costela no bafo; jogador quer virar treinador

 
 
Quem diria que o churrasquinho que preparava para os amigos quando ainda jogava profissionalmente viraria um negócio para o ex-volante do Flamengo Douglas Silva. O ex-atleta, um dos destaques da conquista do Campeonato Carioca de 2004 sobre o rival Vasco, hoje reforça o orçamento doméstico vendendo costelas no bafo em Padre Miguel no subúrbio do Rio. 

Há pouco mais de um ano, aos fins de semana, ele ocupa a esquina do condomínio onde mora para vender a iguaria. A clientela do ex-atleta - muitos torcedores do Flamengo, clube que ele se declara torcedor fanático - se serve no local improvisado, com cadeiras e mesas de plásticos colocadas debaixo de uma tenda desmontável.

"Resolvi criar o negócio porque aqui no bairro não tinha ninguém que fizesse uma costela no bafo", explica o ex-atleta, que se especializou no preparo do corte quando defendia o Atlético-PR. Na tenda do ex-atleta, a peça custa R$ 30 e serve de 3 a 4 pessoas. Ele ainda vende cerveja, o que ajuda a aditivar o faturamento.

Douglas não revela quantas costelas vende no fim de semana. Mas garante que o dinheiro que entra ajuda a "segurar o mês". "Não esperava esse sucesso todo", conta ele, que já pensa em profissionalizar a barraca. "Quero montar uma estrutura melhor, aqui mesmo no bairro. Já tem até o nome fantasia, logomarca". 

Jogador quer virar treinador
O lado empreendedor de Douglas Silva, no entanto, não ofuscou o desejo de voltar a ganhar a vida com o futebol. O ex-volante admite que a carreira fora do esporte aconteceu por não ter se planejado para a aposentadoria. O último clube em que ele jogou foi o Ceres, em 2013, time da segunda divisão do Campeonato Carioca.

"Eu não tinha me preparado para parar de jogar. Tive uma oportunidade e acabei fazendo um curso de treinador no sindicato dos atletas do Rio", recorda-se ele, revelando a vontade de seguir essa carreira. Hoje, ele trabalha na comissão técnica do Bangu, que disputa o Estadual do Rio.

Enquanto o objetivo de virar técnico ainda está distante, Douglas Silva segue vendendo costela. E aproveita bem os contatos do meio do futebol para bombar o negócio. "A rapaziada da bola sempre aparece aqui. O Maicon, ex-São Paulo, o Léo Lima, ex-Vasco, o Jean, ex-Flamengo... A maioria dos jogadores que vem aqui são pessoas que me conhecem aqui no Rio. Tem a rapaziada do pagode, do samba que prestigia também", diz.

UOL
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...