23 de fevereiro de 2015

Veja os assuntos mais cobrados nos concursos do Banco do Brasil; salário de R$ 2,2 mil

Levantamento da LFG listou os assuntos mais cobrados em 7 disciplinas e também o nível de importância de cada uma delas no concurso do Banco do Brasil para 2.499 vagas em cadastro de reserva para o cargo de escriturário. O LFG Maps mapeou as provas dos últimos dois concursos do órgão (2013 e 2014) para chegar aos tópicos mais abordados pelas bancas organizadoras, Fundação Carlos Chagas (FCC) e Cesgranrio, respectivamente. No atual concurso, a Cesgranrio é a organizadora.

O concurso registrou 535 mil inscritos para as vagas nos estados do Acre, Amapá, Amazonas, Ceará, Maranhão, Mato Grosso, Paraíba, Paraná, Pernambuco, Piauí, Rio Grande do Norte, Rondônia, Roraima, Santa Catarina e Sergipe. Os candidatos devem ter nível médio e o salário é de R$ 2.227,26. A prova será aplicada no dia 15 de março.

O tema de interpretação de textos; significação contextual de palavras e expressões, da disciplina de língua portuguesa, foi o mais comum, com 14 questões.

A pesquisa apontou que a disciplina com maior nível de importância é a de conhecimentos bancários, com 30 questões. Em seguida aparecem: língua portuguesa (26), atendimento (22), raciocínio lógico (20), informática (15), cultura organizacional (8) e vendas (6).

“Em 2014, o Banco do Brasil realizou um gigantesco concurso em todo o país. Agora está realizando um concurso regionalizado, para complementar os quadros que não foram preenchidos. Portanto, espero uma prova menos complexa e com temas já cobrados em outras provas”, afirma Marco Antônio Souza de Oliveira, professor da Rede LFG e especialista em concursos do BB.

O levantamento não traz as questões mais comuns na disciplina de atualidades do mercado financeiro, por se tratar de um tema que muda de acordo com os acontecimentos, e de língua inglesa, que é uma novidade no edital.

De acordo com o edital, será eliminado o candidato que obtiver aproveitamento inferior a 55% do total da pontuação do conjunto das provas objetivas ou obtiver aproveitamento inferior a 45% do total da pontuação da prova objetiva de conhecimentos básicos ou obtiver aproveitamento inferior a 55% do total da pontuação da prova objetiva de conhecimentos específicos. Será eliminado, ainda, o candidato que obtiver nota 0 em qualquer uma das disciplinas de conhecimentos básicos e específicos. Ainda haverá prova de redação.

“O estudo de todas as disciplinas é fundamental, mas certamente, duas merecem uma maior atenção: língua portuguesa, devido a sua já conhecida complexidade, e conhecimentos bancários, que é a disciplina que tem maior importância nas provas do Banco do Brasil”, completa Oliveira.

Veja abaixo os temas mais cobrados em cada disciplina:

1) Língua portuguesa
O levantamento identificou 9 temas mais comuns nas últimas provas, com um total de 26 perguntas. Interpretação de textos – significação contextual de palavras e expressões foi abordado em 14 questões, representando 53,9% do total.
Em seguida aparecem: morfossintaxe (3 perguntas – 11,5%), pontuação (2 – 7,8%), reescritura de frase – redação (2 – 7,8%), pronome pessoal e regência (1 – 3,8%), coesão e coerência – pronomes (1 – 3,8%), flexão verbal (1 – 3,8%), período composto (1 – 3,8%) e grafia/acentuação (1 – 3,8%).

2) Raciocínio lógico-matemático
Foram 7 temas mais comuns na disciplina, sendo que conjuntos numéricos foi o mais lembrado pelas bancas, com 8 questões (40%) do total.
Completam a lista: porcentagem (4 questões – 20%), estatística (2 – 10%), matemática financeira – empréstimo (2 – 10%), matemática financeira – juros (2 – 10%), probabilidade (1 – 5%) e matemática financeira – taxa (1 – 5%).

3) Cultura organizacional
Cinco temas foram os mais lembrados na disciplina, sendo o assunto de código de conduta da alta administração pública o mais comum, com 3 questões e 37,5% do total.
Em seguida estão: motivação (2 questões – 25%), cultura organizacional (1 – 12,5%), características da cultura organizacional (1 – 12,5%) e código de ética do Banco do Brasil (1 – 12,5%).

4) Técnicas de venda
Foram identificados 6 temas mais comuns, mas nenhum deles se destacou. Todos tiveram apenas 1 questão, representando 16,66% do total. Os assuntos mais cobrados foram: Código de defesa do consumidor (CDC) – venda casada, processo de vendas – pré-abordagem, planejamento de vendas – potencial de mercado, motivação, custo para o cliente e imagem institucional.

5) Atendimento
A disciplina teve 13 temas mais comuns, sendo que o mais cobrado foi marketing de relacionamento, com 4 questões (18,1%). Apesar disso, houve equilíbrio na divisão de questões entre os assuntos mais cobrados. Completam a lista: ouvidoria (3 questões – 13,6%), necessidades e expectativas do cliente (2 – 9,2%), valor para o cliente (2 – 9,2%), matriz SWOT (2 – 9,2%), matriz PORTER (2 – 9,2%), produtos e serviços (1 – 4,5%), share of mind (1 – 4,5%), planejamento estratégico, tático e operacional (1 – 4,5%), promoção de vendas – marketing integrado (1 – 4,5%), atendimento (1 – 4,5%), empatia (1 – 4,5%) e forças de PORTER (1 – 4,5%).

6) Domínio produtivo da informática
A disciplina teve 9 assuntos mais abordados, mas nenhum ganhou grande destaque e disparou no ranking. Em primeiro lugar ficou o tema de sistema operacional, com 3 perguntas – 20% do total.
Em seguida estão: protocolos (2 questões – 13, 3%), editor de textos (2 – 13, 3%), segurança da informação (2 – 13, 3%), planilhas eletrônicas (2 – 13, 3%), hardware (1 – 6,7%), formato de arquivos (1 – 6,7%), redes sociais (1 – 6,7%) e correio eletrônico (1 – 6,7%).

7) Conhecimentos bancários
Uma das disciplinas mais importantes do concurso, conhecimentos bancários teve 17 temas entre os mais cobrados. O tópico Banco Central do Brasil foi o mais lembrado, com 5 questões e 16,8% do total.
A lista completa é formada por: Conselho Monetário Nacional – CMN (3 questões – 10%), garantias (3 – 10%), Sistema Financeiro Nacional – SFN (2 – 6,7%), taxa SELIC (2 – 6,7%), crime de lavagem de dinheiro (2 – 6,7%), crédito rural (2 – 6,7%), ações (2 – 6,7%), PGBL e VGBL (1 – 3,3%), títulos de capitalização (1 – 3,3%), seguros (1 – 3,3%), Comissão de Valores Imobiliários – CVM (1 – 3,3%), Fundo Garantidor de Créditos – FGC (1 – 3,3%), BNDES (1 – 3,3%), consolidação bancária (1 – 3,3%), câmaras de compensação (1 – 3,3%) e crédito direito ao consumidor (1 – 3,3%).

G1 

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...