17 de fevereiro de 2015

Destemidos, 'mijões' seguem urinando nas ruas do carnaval de Salvador

Foliões fazem xixi na rua em Salvador (Foto: Diogo Macedo/Ag Haack)

Mesmo com a possibilidade de pagar mais de R$ 1 mil em multa, os foliões seguem fazendo xixi em vias públicas de Salvador durante o período do carnaval baiano. Em imagens registradas pelo G1, é possível ver um homem urinando atrás da fila de banheiros químicos no Circuito Dodô (Barra-Ondina) e, em outra, uma garrafa de água mineral com urina.

Para o empresário Danilo Dias, o grande número de pessoas que infringem a lei municipal ocorre por "ainda serem poucos banheiros químicos disponíveis". "Em Ondina é um absurdo. Tem um morro que todo mundo usa como banheiro", disse indignado enquanto esperava a vez de usar o banheiro público.

Para o turista gaúcho, Rennê Ellwanger, que está curtindo a festa pela primeira vez, há um problema cultural. "Não podemos também justificar o erro das pessoas, que devem ser multadas. Eu estou na fila, por exemplo, esperando a minha vez de urinar", ressaltou.

Falta banheiro químico
Instalados em pontos estratégicos, os banheiros químicos não atendem o grande fluxo popular. De acordo com Beatriz Silva, 50, não foi fácil achar um local para fazer xixi.

“Eu andei muito. A gente tem que sair do circuito para poder encontrar um banheiro e quando encontra tem que ter toda uma técnica para usar, principalmente se preocupar em não tocar em nada e tapar a respiração por conta do mau cheiro”, disse a Analista de Sistemas, que elogiou os banheiros do circuito Campo Grande. “Todos com ar-condicionado e higienizados”, conta.

Da mesma opinião compartilha o casal Samantha Correa e Anderson Pitangueira. Além do pouco espaço, a estudante de 23 anos considerou o odor um dos maiores empecilhos para o uso do banheiro químico. “Eu me prendo muito, espero até quando não aguento mais. Fora papel higiênico que quase sempre não tem, trago o meu de casa”, avaliou. Apesar das dificuldades, a analista de logística garante que só urina no banheiro.

Ao caminhar por alguns pontos do circuito Barra - Ondina (Dodô), onde essas cabines estão fixadas, o G1 não viu serviço de manutenção. Foliões menos corajosos preferem pagar pelo serviço. Fazer xixi em local limpo e cheiroso varia de R$ 2 a R$ 3.

G1
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...